Nutrição e candidíase, inteiramente ligados

nutrição

POR Celina Avelino

16/05/2018


A infecção candidíase vulvovaginal é uma infecção causada por diversos fatores, um desses que podem aumentar sua predisposição ao desenvolvimento é o desequilíbrio da microbiota intestinal (disbiose). Os fungos Cândida albicans estão presente no trato gastrointestinal. Os sintomas se caracterizam por prurido, ardor e corrimento branco e espesso. 

Algumas outras condições que podem aumentar a predisposição: uso de anticoncepcionais orais, antibióticos, corticoides, o estresse, a presença de xenobióticos na alimentação e entre outros, podem diminuir o numero de bactérias benéficas, liberando o aumento desordenado das bactérias patogênicas, incluindo a Cândida albicans. Episódios que propiciam a redução da capacidade imunológica também podem aumentar essa vulnerabilidade. 


As escolhas erradas e inadequadas na dieta podem favorecer o crescimento fúngico. Uma dieta rica em glicose (carboidrato) parece ser o principal substrato para o desenvolvimento e crescimento da Cândida albicans. Os carboidratos refinados como pães, bolos, massas, o açúcar refinado, leite e derivados, bebidas alcoólica e produtos industrializados (bolachas, biscoitos, cereais etc) deve ser evitada.

Os alimentos são diversos, e existem os que ajudam no combate dos fungos, com propriedades antifúngicas, que devem fazer parte de uma alimentação equilibrada para melhor combater os sintomas e o favorecimento do crescimento como: cebola, alho, orégano, biomassa de banana verde, legumes e verduras dentre outros.  Além disso, a suplementação com probióticos e prebióticos, pode ser coadjuvante no tratamento da candidíase. A glutamina pode ser usada (depende do nutricionista), já que existem estudos que mostra efeitos moduladores sobre a C. albicans diminuindo sua incidência e reduzindo a contaminação. 


Celina Avelino – Nutricionista – CRN 20650
Pós graduanda em Nutrição Esportiva e Estética
Instagram - @papodanutricionista
Facebook – Papo da Nutricionista


Referências bibliográficas:
1 – Paschoal, Valeria. Nutrição Clinica Funcional: dos princípios à pratica clinica. 2ª edição – São Paulo, Editora Ltda, 2007.
2 – GRIFFITHS, R.D.; ALLEN, K.D.; ANDREWS, F.J.; JONES, C. Infection, multiple organ failure, and survival in the intensive care unit: influence of glutamine-supplemented parenteral nutrition on acquired infection. Nutrition, 18(7-8): 546-52, 2002.
3 – FALAGASI, M.E.; BETSI, G.I.; ATHANASIOU, S. Probiotics for prevention of recurrent vulvovaginal candidiasis: a review. J Antimicrob Chemother, 58: 266-172, 2006.

Comentários

Celina Avelino

Celina Avelino, 23 anos, mossoroense, formada em Nutrição pela Universidade Potiguar (UNP) e colunista de Nutrição no Portal Mossoró Notícias.