A Medida provisória (MP) 841 e o futuro do esporte de base no Brasil

esporte

POR Franklin Soares

24/06/2018

A MP 841 visa fazer o remanejamento de verbas do esporte e da cultura para segurança pública, algo em torno de 500 milhões por ano.
O governo explica que isto seria uma espécie de gordura que hoje dispõe os dois segmentos e, portanto, serão subtraídos os valores. A verdade é que hoje a CBC (Confederação Brasileira de Clubes) e o COB (Comitê Olímpico Brasileiro) fomentam em todo o país a formação de atletas, competições nacionais como o conhecido JUVERNS (Jogos da Juventude do RN), mas com progressão para o brasileiro, pan-americano e outras competições de clubes, além do fomento para formação de atletas de base até o nível olímpico, em que se necessita a vivência de experiências internacionais para que tenhamos condições competitivas.


Vejamos que ao se falar de esporte não podemos esquecer a interdisciplinaridade que é proporcionada e assim a formação direta de cidadãos através da atuação de vários profissionais envolvidos dentro da formação esportiva. No Brasil tende-se a esquecer que o esporte é um dos mais eficazes meios de combate a marginalidade de jovens adolescentes oriundos das regiões periféricas de nosso colosso com dimensões continentais.  A verdade é que em tempos de copa do mundo de futebol devemos torcer, mas, sobretudo ficar atento aos manuseios do dinheiro público. Já não seria hora de repensar o Ministério dos Esportes também? Esse formato já defasado que serve muito mais para negociar cargos em troca de decisões politiqueiras em Brasília? Poderíamos copiar exemplos como dos americanos e dos próprios suíços, recente adversário do Brasil na Copa. Lá eles direcionam os investimentos em polos, não somente por um ministério e estes polos apenas acompanham as esferas mais próximas dos desportos, na maioria das vezes o poder público municipal, que direciona o investimento na formação de atletas locais e competições de uma forma muito mais clara e direta, fazendo com que as verbas não percam percentuais em seu caminho até o destino que é o esporte.

A MP 841 vem perdendo forças, já são 95 ementas, mas mesmo assim há necessidade de se analisar, debater e finalmente decidir mudar, para não prosseguir com essa ideia errada lançada pelo governo federal, mas sim de rever que tipo de atitude podemos tomar para o benefício da população através dos esportes na formação de atletas de base, dando a estes um suporte adequado até que possam nos representar nos jogos olímpicos.
Fica aqui a indignação de um Profissional de Educação Física com 20 anos de atuação direta na formação de atletas escolares e que viu o projeto Jovem Promessa de Ginástica na cidade de Mossoró deixar de receber investimentos da Caixa por tempo indeterminado e sem muita clareza do que está acontecendo.


O combate a violência não se dará somente com investimentos em viaturas, armas e munições, estaremos sim fomentando uma guerra urbana.
Que o Brasil possa vencer no futebol, mas, sobretudo na qualidade de vida de seus habitantes e que o esporte possa fazer sua parte sem desvios como estes sugeridos na MP 841.

Comentários

Franklin Soares

Franklin Soares, 38 anos, patuense, formado em Educação Física, especialista em avaliação e prescrição de atividade física e colunista de Esporte no Portal Mossoró Notícia.

BioFit - Coluna