A solução é investir e não cortar!

esportes

POR Franklin Soares

23/01/2018

A atenção deste momento um pouco sombrio que vive o esporte estadual com o risco da extinção da SEEL, nos faz deixar perguntas que pairam no ar,  sobre a volta das aulas e as competições escolares.


Uma vez que a SEEL divulgou seu calendário com todas as fases previstas do JUVERNS, etapa classificatória pra o JEBS; o calendário será mantido? 


O JERNs que sequer teve o pagamento das equipes técnicas e de arbitragem efetuado, da edição de 2017, mesmo assim ele acontecerá? Sim, estas perguntas são de suma importância porque o JEMs ( jogos escolares de Mossoró), não aconteceu nos últimos 2 anos e o pagamento de 2015 desta competição também não foi feito pelo poder público municipal.


Enquanto enxergamos nos países de primeiro mundo a ideia de investimento no esporte de base, escolar, por aqui estamos vendo de maneira clara a depreciação dos segmentos que ainda possuíam alguma atenção. 


E agora?


Agora resta aqueles que já foram atletas, aqueles que são, os que trabalham e vivem do esporte se juntarem pra não permitir que isto continue numa ação progressiva e acabe de vez com o desporto escolar. O RN que outrora já foi referência em algumas modalidades e teve nomes de destaque, hoje amarga péssimos resultados por um fator lógico que não vem sendo percebido. Mas se está sendo percebido, está sendo ignorado. Já é hora de acabar com bairrismo, acabar com a falsa idéia de que "se eu estou bem os outros que se virem". Esporte nenhum se faz sozinho. Existem modalidades individuais mas estas necessitam de outras equipes pra competir, crescer e alcançar objetivos maiores.


Estamos entrando no período final das férias escolares e as instituições privadas estão investindo, mesmo que de maneira tímida, por enxergar parte do produto mais caro vendido no comércio mundial. Oxe, vocês não sabiam que o produto que mais se vende e agrega valor no mundo é o esporte e seus atletas de custos fora de qualquer escala?


Enquanto o investimento no esporte privado é tímido, o público parece querer minguar ou se extinguir esse tipo de investimento em alguns setores. Quando falo em investimento é porque existem dados que comprovam que investir no esporte traz economia na saúde, segurança, educação e ainda proporciona uma formação de cidadãos com mais atitude e predisposição a executar tarefas com mais habilidade. 


Em Mossoró há necessidade imediata dos órgãos representantes do esporte passarem a se reunir. Reativar o conselho municipal de esporte. Reacender a chama das ligas esportivas. Juntar os diversos segmentos e modalidades esportivas em atividade pra se mobilizar e engrossar o caldo na lutas por dias melhores pra o esporte em busca de apoio com empresários que consigam ver no esporte um produto rentável e capaz de agregar valor a seu estabelecimento. 


Deixo minha humilde opinião e me predisponho a ajudar a divulgar e contribuir no que puder pra que o esporte possa voltar a ter dias de glória em nossa tão amada e quente Mossoró.


Comentários

Franklin Soares

Franklin Soares, 38 anos, patuense, formado em Educação Física, especialista em avaliação e prescrição de atividade física e colunista de Esporte no Portal Mossoró Notícia.

BioFit - Coluna