O envelhecimento do esporte pode ser uma conseqüência pesada demais

esportes

POR Franklin Soares

18/03/2018

Dentro de uma crescente onde de violência e desatenção ao público jovem que não possui condições financeiras a prática regular de esportes, há uma questão que me faz pensar por horas e a resposta aos questionamentos durante todo esse tempo não é clara.

Gostaria que aqueles que porventura possam ter mais ciência pra esclarecer e quem sabe também contribuir em novos rumos pra nossos jovens possam ajudar.

Numa breve observação nos ambientes públicos de prática esportiva, praças, quadras, campos e até mesmo escolas públicas, é notória a diminuição de crianças e adolescentes envolvidas com o esporte em nossa cidade. Estes números se refletem nos jogos escolares que aconteceram em sua última edição em 2017. 

Quero aqui salientar que na rede privada se vive uma realidade semelhante. Nela se reflete também esse quadro de diminuição de práticas esportivas, muito embora, tanto na rede pública quanto na privada temos inúmeros talentos perdidos que poderiam ser aproveitados nas mais diversas modalidades de nossa querida Mossoró.

No esporte, Mossoró tem se tornado uma cidade envelhecida, sim é isso que você leu, envelhecida. 

É comum ouvir histórias de um período que passou em que o voleibol, o futebol, o handebol, Basquete, ciclismo, jiu-jitsu, Taekwondo... Foram referência local e até ganharam visibilidade nacional. Mas porque ao invés de termos evoluído ao chegar a esse nivel, nós regredimos a situação atual? Seria a falta de estímulo nas famílias? Nas escolas? Nas associações esportivas, clubes ou mesmo o poder público?
     
Precisamos desburocratizar o esporte. É necessário que todos os segmentos se unam neste Momento em que se vê os jovens se marginalizando por não ter capacidade de enfrentar os desafios da vida. Estes desafios são sempre bem trabalhados no esporte de um modo geral. Se superar é a máxima de qualquer esporte. No entanto, nessa superação há respeito, colaboração, empatia e capacidade de discernir o certo e o errado.

Praticar qualquer esporte tem se tornado caro e também difícil. Onde se tem o espaço adequado, se cobra valores que fogem da realidade financeira de muitos e os espaços gratuitos tem se tornado cada vez mais raros e sem manutenção pra que haja o mínimo de condições pra que se possa jogar qualquer modalidade que seja.

As políticas educacionais , vindas de cima pra baixo, só enfraquecem o esporte. Além da diminuição do investimento, também há mudanças na prática do ensino da Educação Física escolar, que deixa de ser uma disciplina diferente das demais com aulas práticas e se limita as mesmas aulas teóricas, se tornando mais do mesmo no meio escolar. 

As ideias e situações expostas são pra esclarecer que estamos contribuindo para o envelhecimento do esporte e em consequência a tudo isso, poderemos em alguns poucos anos até sepultar parte destes, se não houver uma mudança de postura em todos os âmbitos que o esporte abrange.

Portanto, você que tem um filho(a) estimule a prática de esportes, há muito o que aprender e vivenciar nele. Não use o esporte como punição. Lá ele recebe orientações de pessoas capacitadas pra isso, quando se é profissional de Educação Física, está sendo assistido e o principal, desenvolvendo habilidades que não se consegue na maioria das outras atividades que são propostas fora dele.

Na escola, não importa se pública ou privada, vamos desburocratizar a prática. Vamos estimular a formação de equipes escolares, incluir os mais diversos públicos dentro dessas práticas, estimular jogos internos e externos ao ambiente escolar, sem querer ter algum benefício que não seja o desenvolvimento dos alunos. Sim, no esporte escolar os benefícios devem ser dos alunos e em consequência das escolas e não o contrário que acaba por sucumbir, a exemplo da nossa crescente realidade.

Nos clubes, praças, condomínios... Precisamos de referência, de pessoas que se disponham a mudar essa triste realidade. Isto trará em um futuro próximo uma queda nos índices de violência, evasão escolar, união entre as famílias e o principal, de qualidade de vida daqueles que praticam e estão envolvidos neste meio saudável de se levar a vida.

Apontem mais sugestões, falem dos projetos que já existem, de ideias que podem enfrentar esse desafio que é voltar a crescer as práticas esportivas pras crianças, adolescentes.

Vamos tornar Mossoró uma cidade esportiva em todas as categorias, com crianças no fraldinha, mirins, infantil e transpondo todas as categorias e também enxergar nossos veteranos em quadra, campos, tatames e pistas, sendo referência positiva e estimulando o lado bom da vida que só esporte nos traz de maneira tão direta e positiva.

Comentários

Franklin Soares

Franklin Soares, 38 anos, patuense, formado em Educação Física, especialista em avaliação e prescrição de atividade física e colunista de Esporte no Portal Mossoró Notícia.

BioFit - Coluna