Pantera Negra e a sociedade evoluída

cinema e tv

POR Karla Menezes

22/02/2018


O primeiro filme com protagonista negro da Marvel (não da história dos super-heróis, pois temos Hanckock, por exemplo) chegou com um visual incrível e desmontando vários conceitos tradicionais sobre a forma como estamos acostumados a ver o mundo dos heróis e o real também.

Após os eventos de Guerra Civil, o príncipe T-Challa assume a sua posição de líder no reino de Wakanda, na África.  O peso do Pantera Negra como o primeiro herói com descendência africana nos quadrinhos foi transportado para a tela, em vários aspectos.




Wakanda é uma nação escondida no coração do continente africano, cheia de misticismos e cercada pela lenda da Deusa da Pantera. Ao longo dos anos a sociedade evoluiu e tornou-se uma nação rica em Vibranium um dos metais mais fortes e preciosos da terra, essa riqueza permitiu o desenvolvimento de uma sociedade mega tecnológica, que para não envolver-se em conflitos se escondeu do mundo. Uma pequena crítica ao que poderia acontecer realmente com os países africanos, cheios de riquezas naturais, se não tivessem sido usurpados por seus colonizadores europeus. Entretanto, vemos muitos rituais e traços fortes da cultura: na maquiagem, nos figurinos e até nos cenários. Muito interessante como esses extremos estão a todo tempo presentes, seja no laboratório mega desenvolvido, cheio de grafites afros, ou no ritual para assumir a coroa, onde o príncipe toma uma mistura alucinógena e pode ser desafiado por combate até a morte, em uma clara referência aos rituais aborígenes.




Tem se falado muito positivamente do papel do negro e de como a mulher negra foi representada neste filme como cientistas, guerreiras, opiniosas e independentes. Não é à toa, uma verdade muito agradável, inclusive pela não objetificação feminina em seus figurinos, conseguimos ver muita beleza em trajes tradicionais, sem expor ou sexualizar o corpo. Todos esses aspectos são muito interessantes e merecem destaque, porém não devemos cegar para alguns defeitos do filme. Há cenas muito escuras ou mal iluminadas à noite e nos ambientes fechados (a dica é, evite o 3D, que ajuda a escurecer mais), ou o CGI no uniforme do Pantera Negra que falhou em alguns momentos.

Só não deixe o hype te influenciar, o filme é bom, mas com defeitos. Representa muito e pode revolucionar a cultura pop atual nos cinemas trazendo um novo tipo de representatividade para o mundo real, contudo continua sendo apenas um filme de super-herói

Comentários

Karla Menezes

Karla Menezes, 27 anos, mossoroense, pós graduada em Social Media pela Universidade Potiguar (UNP) e colunista de Cinema e TV no Portal Mossoró Notícias.