Leite, lactose, lactase… Sou intolerante ou não?

Colunas

Olá pessoal! Tudo bem? Hoje estou tão animada e disposta que passei hoooooooras aperfeiçoando esse post para que ele fique bem legal e bacana de se ler. Cadê os comentários e sugestões? Estou sempre aberta a novos temas e trazer mais saúde e qualidade para vocês.

“Não tomo leite, pois tenho intolerância a lactose, mas não fiz o exame para saber.”

“Tenho dores abdominais sempre que tomo leite, eu tomo os leites desnatados em caixa.”

“Não tomo leite, e quando tomo é em caixa e tenho muito gases.”

“Leite engorda e me da desconforto.”

Você leitor, passa por esses pontos de interrogação? Ou já ouviu algum amigo dizer? Se sim, manda o link para ele ler essa coluna de hoje. O ser humano tomar leite após adulto sim, inclusive meu pai, meu maior exemplo e meu orgulho (beijos papi) toma leite todos os dias, no mínimo 1 copo, e sabe de uma coisa? Ele está certíssimo e sempre opta por aqueles leites em saquinhos…, mas eles não são ruins? Vamos lá.

O Brasil consome em maior parte, os leites em caixa, que geralmente são transportados da fazenda até a indústria. Devido a esse transporte, o leite passa por processos para minimizar os riscos de contaminação, ou seja, ele é fervido várias vezes em temperaturas altas, e por isso é chamado de leite UHT (ultra high temperature). Infelizmente nesse processo de alta temperatura acaba matando também as bactérias benéficas.

E isso não é tudo: também é colocada água para não talhar e substâncias para dar cor, sabor, odor, consistência, mantendo estável.

No total não há um dado estatístico, mas supõe-se que em torno de 20% a 30% dos brasileiros possuem intolerância a lactose. Mas o que é lactose? Açúcar do leite. Você é uma das pessoas que desconfiam? Então vamos aos passos a serem aprendidos. Pega uma folha, caneta ou imprima e vamos ao supermercado!

  1. Não exclua todos os derivados do leite por versões “zero lactose”, pois eles geralmente contem a enzima lactase adicionados em sua composição, já “quebrando” a dita lactose.
  2. Mude a qualidade dos produtos; como? 3º passo;
  3. Leia a lista de ingredientes, nela você vai saber o que é leite, sabendo-se que leite é leite, então não deve conter outro ingrediente senão o leite;
  4. Escolha leites pasteurizados (aqueles de saquinho ou engarrafados refrigerados) que vão somente da fazenda direto para os supermercados, não passando por nenhum processo nem adição de nenhum ingrediente extra, mantendo os microorganismos benéficos para a nossa microbiota saudável.
  5. Gosta de iogurte? Leia lista de ingredientes, se conter leite, leite em pó e fermento lácteo, ok.

Continua sentindo os sintomas mesmo mudando a qualidade e derivados do leite? Procure o nutricionista antes de excluir a lactose de sua alimentação, pois essa diminuição pode fazer com que seu corpo diminua a produção da enzima que a degrada (lactase, aquela que vem na versão zero lactose).

Como já havia dito, os sintomas desagradáveis podem ser consequência de outro componente alimentar presente no leite. A adição de qualquer substancia ao leite de caixa interfere negativamente no valor nutricional. Além de água, sal, citrato de sódio e açúcar, são incluídos estabilizantes como monofosfato trifostato, citrato e disfostato de sódio (aparecem na lista de ingredientes, por isso tão importante a leitura dos rótulos) e, como já foi noticiado em vários meios de comunicação, água oxigenada, formol e soda cáustica podem sim (infelizmente) estar presentes na composição do leite em caixa, que triste 🙁

Seu corpo certamente não receberá bem esses ingredientes, fazendo com que o organismo responda de forma negativa, com os principais sintomas como desconforto, dor, distensão abdominal, diarréia… Então, procure um nutricionista para ser melhor orientado, e claro, associa-los ao seu objetivo.

Nutricionista Celina Avelino

CRN – 20650 – RN

FB: Papo da nutricionista

IG: @papodanutricionista

E-mail: [email protected]

Comentários

comentários

Celina Avelino

Celina Avelino

instagramSiga-nos @mossoronoticias