A desburocratização aumenta o consumo: o caso das fintechs de cartão de crédito

economia e empreendedorismo

POR Vinicius Salgado

26/12/2017

Hoje em dia, ninguém aguenta mais filas e burocracia que os bancos nos proporcionam. Isso porque surgiram inovações e alternativas para este seguimento, são os casos das startups brasileiras de cartões de crédito, que além de ter quase zero de burocracia para a adesão, as taxas e anuidades são bem mais baixas, e as vezes até isentas, do que os cartões convencionais. NUBANK Pioneira no ramo, a Nubank opera de forma totalmente diferente do que os outros cartões de crédito dos bancos físicos, por exemplo. A desburocratização fica por conta de que o consumidor não precisa enfrentar filas, levar papelada ou ler aqueles contratos enormes, a forma de adesão é simples e com a rapidez que a internet nos proporciona. A procura é tanta, que agora o roxinho tem fila de espera para avaliação. O cartão é emitido pela própria Nubank, que é licenciada pela Master Card e, assim, autorizada a emitir cartões de crédito com a bandeira no Brasil. O maior e principal diferencial da Nubank é a simplicidade, transparência e burocracia quase zero. Até mesmo o contrato de adesão é pequeno e escrito em termos que fogem do juridiquês, para que qualquer pessoa entenda. As únicas exigências para se ter um cartão Nubank é ter pelo menos 18 anos de idade e possuir um smartphone Android ou iOS, que são as plataformas onde a empresa já atua. A nubank não possui taxas e nem anuidade, a redução de custos da era digital, por não precisar de bancos físicos, papeladas, etc., proporciona que o segmento atue dessa forma, sem que tenha prejuízo. A empresa ganha dinheiro, basicamente, de duas maneiras, em cada compra que o cliente faz usando o cartão, eles recebem uma pequena porcentagem do estabelecimento. Além disso, quando a pessoa opta por financiar o valor da fatura, eles cobram juros no valor. É o chamado crédito rotativo. O valor dos juros é de 7,75%. O cartão também possui o Nubank Rewards, que é o programa de pontos que podem ser trocados por milhas, por créditos no celular ou até mesmo para pagar aquelas contas “fixas” do mês como Uber, netflix, spotify, etc. Então, se você quer um cartão Nubank, baixe o aplicativo no seu smartphone e solicite a sua avaliação, após isso, é só aguardar a resposta da empresa. Além disso, você pode procurar algum amigo que já possua o cartão para te enviar um convite, isso facilitará e agilizará o seu processo de adesão. Sou cliente e recomendo bastante. A maior diferença entre DIGIO e NUBANK é a bandeira do cartão. Enquanto o Nubank, como já abordado, atua com a bandeira Master Card, o DIGIO atua com bandeira VISA Internacional. A forma de atuação é a mesma, desburocratizando o processo de aquisição e manutenção da conta. A facilidade para adquirir o DIGIO também é a mesma e ainda leva um pouco de vantagem. Enquanto o NUBANK tem fila de espera, o DIGIO não atua dessa forma, porém, a aquisição ainda está sujeita a uma analise de crédito feito pela empresa. Baixe o aplicativo do DIGIO e vá seguindo os passos para obter seu token de acesso, isso levará você a repassar informações suas e o cartão vai analisar se você estará apto ou não para adquirir os serviços. TRIGG A Trigg chegou como grande concorrente do Nubank e Digio, criando o marketing de que o cartão paga para você utilizar ele, mas isso não deve ser levado ao pé da letra. O sistema é o chamado cashback, ou seja, parte das suas compras podem ser revertidas em descontos nas próximas faturas ou como fomento ao empreendedorismo de alto impacto social. A empresa atua com a bandeira VISA GOLD, uma das mais importantes do mundo. Porém, o cartão cobra uma anuidade de R$ 180,80 que pode ser dividido em 12x, com isenção nos três primeiros meses. A forma de adesão é semelhante, baixe o aplicativo TRIGG no seu smartphone, a análise é feita na hora e automaticamente você já sabe se foi aprovado ou não, além disso, antes de receber o cartão físico, você pode utilizar o cartão virtual para compras feitas online. Essa desburocratização nos serviços de cartão de crédito estimula a adesão e o consumo das pessoas que solicitam. As faturas são emitidas via email e com opção de pagamento online, sem precisar daquelas filas de bancos e casas lotéricas que nos irritam no dia a dia. Além disso, constantemente você pode alterar seu limite do cartão, mas antes precisa passar pela avaliação da empresa. “Os caras” criaram soluções para a vida das pessoas e que tudo possa ser resolvido pelo próprio smartphone. A simplicidade, praticidade e o sistema objetivo, comprova o sucesso das fintechs nos últimos anos.  

Gabriel Silva, diretor financeiro do Nubank

“Enxergamos no cartão de crédito o maior número de deficiências no setor e apostamos nisso” “Descobrimos, por exemplo, que muita gente ligava para pedir a troca da data de fechamento da fatura. Em pouco tempo, criamos com nossos engenheiros uma solução para que os clientes possam fazer isso sozinhos, pelo aplicativo”

Comentários

Vinicius Salgado

Vinícius Salgado, 23 anos, mossoroense, acadêmico do 9 período do curso de Economia na UERN e colunista de economia no Portal Mossoró Notícias.

anuncie