A lei da oferta e demanda explica porque o futebol masculino faz mais sucesso do que o feminino

economia e empreendedorismo

POR Vinicius Salgado

28/06/2018

Em época de copa é comum surgirem comparações sobre a valorização do futebol masculino e a ‘não-valorização’ do futebol feminino. A lei da oferta e demanda explica isso da seguinte forma: o futebol masculino tem muito mais demanda do que o feminino, logo, é mais rentável investir no masculino do que no feminino, atraindo mais investimentos, a rentabilidade dos homens será maior do que a das mulheres.


O grande problema é que somos o país do problema pronto, ou seja, qualquer coisa que acontecer, por mais positiva que seja, sempre vai ter aquela minoria para problematizar a situação. Esses dias surgiram algumas feministas para fazer chacota com a seleção masculina e enaltecer os feitos ‘não-valorizados’ da seleção feminina, porém, as mesmas que criticam essa diferença entre gêneros, não param para assistir o futebol feminino e nem muito menos compram uma camisa da Marta, por exemplo, assim fica difícil defender um discurso de quem não o faz.


A bola de neve negativa está presente no futebol feminino. Os eventos não atraem público, nem nos estádios nem em audiência para rádio e TV, consequentemente, os clubes conseguem poucos investimentos por fora, arrecadam pouco com a venda de ingressos e não tem condições de pagar altos salários para as atletas. Coisa que acontece inversamente no futebol masculino. Além disso, tem a questão da tradição, que o futebol masculino, historicamente, é bem mais popular do que o feminino.


Portanto, não tem como comparar uma coisa com a outra se a lógica fala por si. Não é questão de gênero, não é questão de injustiça, é explicado cientificamente, teoricamente e se aplica na prática. O que me deixa um pouco impressionado é a hipocrisia da turma feminista do país, querem apenas causar e inflam o discurso com vitimismo. Mais uma vez é por pura hipocrisia que o discurso não ganha força e acaba virando motivo de piada até pelas próprias mulheres. 

Comentários

Vinicius Salgado

Vinícius Salgado, 23 anos, mossoroense, acadêmico do 9 período do curso de Economia na UERN e colunista de economia no Portal Mossoró Notícias.