O que tem por trás do desfile da paraíso do Tuiuti que você não sabe

economia e empreendedorismo

POR Vinicius Salgado

19/02/2018


A escola de samba Paraíso do Tuiuti, segundo lugar no carnaval do Rio de Janeiro, abordou um tema bem polêmico na Sapucaí. Uma crítica, muito bem-feita por sinal, ao sistema político brasileiro, onde até o Presidente Michel Temer foi mencionado como o “Vampirão Neoliberal”, dentre outras várias críticas feitas à reforma trabalhista em uma alusão a escravidão dos anos passados.

Porém, há uma série de motivos por trás desta crítica, dentre eles, ideologia política. O que acaba com a nossa democracia e o que nos deixa sem moral para debater qualquer tipo de assunto, é a hipocrisia, e isso estava presente em todo o desfile da escola de samba. Aliás, isso fica evidenciado quando o carnavalesco da escola dá uma declaração nas redes sociais. Segue na íntegra para que não haja distorções: 


“– E do cenário político do Rio e do Brasil. Acha que falta o carnaval voltar a ser mais crítico nas suas mensagens?

Jack Vasconcelos: “Eu acho que é positivo a gente poder se posicionar. Muito disso tem relação com a troca de governo. Hoje somos oposição e antes éramos parceiros do poder e não podíamos arranhar a relação. Enredo mais críticos não eram incentivados. Agora com uma guerra declarada tem essa abertura maior. Os dirigentes nos deixam livres, e temos mais é que fazer”.”


Ou seja, antes eles eram “amigos do rei” e não podiam fazer críticas para não estragar a relação ($) que tinham com o governo amigo. Fica a dúvida de como era feito esta parceria, a quem o governo beneficiava para poder calar as escolas de samba. E hoje, com a “guerra declarada” (de ideologias políticas) eles podem se manifestar. 

A nossa política ela é suja e não é de hoje, porém, quando surge um destaque como este vale ser mencionado que ela pode passar dos limites. A escola de samba confirma ainda mais sua hipocrisia quando fez duras críticas à reforma trabalhista, onde usaram bordões patéticos de que “rasgaram a CLT”, mas contrataram apenas três pessoas de carteira assinada para trabalhar para eles. Quem é que defende a CLT, mas não utiliza? Alguém tem uma definição de Fascismo melhor do que este desfile?

Além do mais, o desfile abordou, em um certo período, as manifestações pró impeachment onde designavam os manifestantes como marionetes, fáceis de serem manipulados. Porém, esqueceram de abordar os protestos dos sindicatos que pagavam pessoas pobres para irem defender um certo condenado da justiça em troca de pão com mortadela e alguns trocados.

 



Fica claro que este tipo de democracia acaba com o nosso país, é o poder sujo nas mãos de quem não tem moral para criticar. No início, muita gente ovacionou e aplaudiu a escola, até eu mesmo fiquei surpreso. Porém, logo a verdade vem à tona e a máscara cai.

Não fiquei incomodado com o desfile, achei divertido, até porque é carnaval, tempo de dar realidade à delírios e fantasias. 


Att, Vinícius.


Comentários

Vinicius Salgado

Vinícius Salgado, 23 anos, mossoroense, acadêmico do 9 período do curso de Economia na UERN e colunista de economia no Portal Mossoró Notícias.