Ditadura na Venezuela: uma questão de ideologia

política

POR Allan Darlyson

01/05/2019

Ideologia, eu quero uma pra viver. A frase do poeta Cazuza abre hoje a nossa coluna para mostrar o quanto se contradizem extremistas de direita e esquerda. O tema é democracia x ditadura.

Brasil

No Brasil estamos caminhando para um governo militar democraticamente eleito pelo povo, em 2018, com a vitória do candidato da extrema-direita, Jair Bolsonaro, o qual hoje impõe seu conservadorismo nas ações do governo. Os defensores do governo também defendem o golpe militar de 1964, que resultou numa ditadura de 24 anos.  

Venezuela

Os mesmos que defendem o golpe de 1964 são contra a ditadura militar na Venezuela, que vem prosperando a décadas. Primeiro com Hugo Chaves. Depois com Nicolás Maduro. O chavismo levou a Venezuela para uma crise econômica e política profunda. 

Contradição 

Pouco importa para os militantes da extrema-direita se é ditadura ou não. O que importa é que esteja um conservador no poder. A ditadura vira só argumento pra sua defesa. 

Esquerda 

Como irmã siamesa da extrema-direita, a esquerda faz a mesma coisa, só que do outro lado da moeda. Condena a ditadura militar brasileira e combate o governo militar democrático de Bolsonaro, enquanto defende a ditadura de Maduro.

Ideologia

É tudo uma questão de ideologia, como cantava o mestre Cazuza. Cada lado com a sua, posicionando-se não pelo que acha certo ou errado, mas seguindo o que reza a cartilha do seu grupo político. 

No “muro de Berlim” 

Nesse Brasil polarizado entre direita e esquerda, Lula e Bolsonaro, PSL x PT, existem milhares de pessoas que estão no centro, em cima do muro. Nem concordam com um lado nem com o outro. Tomam suas posições pelo que acreditam ser certo. Tratados como “insentões” ou taxados por um lado como se fosse do outro. 

E você? 

É a favor ou contra a ditadura que houve no Brasil? A favor ou contra a que ocorre na Venezuela? Ou não possui opinião formada? Manda seu comentário para [email protected] que poderemos publicar. 

Comentários

Allan Darlyson

Jornalista, formado em 2011 pela UFRN. Passou pelas redações do Correio da Tarde, Diário de Natal e TV Ponta Negra. Na área de Assessoria de Imprensa, atuou como assessor de diversos políticos. Rompendo as fronteiras do jornalismo, em 2018, passou a fazer o marketing de campanhas políticas. Hoje, atua como assessor de Comunicação.