Justiça passará pente fino na campanha de Fátima

política

POR Allan Darlyson

14/05/2019

Chamou a atenção do Ministério Público Federal (MPF) a abertura da empresa Brasil para Todos três dias antes de a governadora Fátima Bezerra (PT) ter sua candidatura homologada. 

Dinheirão 

A campanha de Fátima não só contratou a recém-criada agência, como repassou quase R$ 2 milhões para a neófita no ramo de publicidade. 

Cheiro ruim

Vendo essas coincidências, o Ministério Público Federal (MPF) começou a investigar para onde foi esse dinheiro, que veio do Fundo Partidário, recursos da União. 

Quebra de sigilo

Buscando fazer o caminho do dinheiro, o MPF solicitou e a Justiça Eleitoral autorizou a quebra de sigilo fiscal da empresa e dos seus sócios. 

A finalidade

O MPF quer saber se o dinheiro foi aplicado para a finalidade que a campanha e a empresa dizem ter ou se ouve superfaturamento e desvio para outras finalidades.

Comparação 

Comparando o gasto da governadora Fátima com o marketing ao senador Capitão Styvenson (Pode), a diferença é astronômica. Enquanto o Capitão gastou menos de R$ 100 mil, Fátima usou quase R$ 2 milhões.

Que a verdade venha à tona

Não se pode condenar a governadora sem que termine a investigação. Fátima é uma mulher conhecida pela sua honradez e honestidade. Se houve qualquer problema nessas operações de campanha, tudo deve ser explicado. Que a verdade venha à tona, os culpados sejam punidos e os inocentes inocentados.

Comentários

Allan Darlyson

Jornalista, formado em 2011 pela UFRN. Passou pelas redações do Correio da Tarde, Diário de Natal e TV Ponta Negra. Na área de Assessoria de Imprensa, atuou como assessor de diversos políticos. Rompendo as fronteiras do jornalismo, em 2018, passou a fazer o marketing de campanhas políticas. Hoje, atua como assessor de Comunicação.