Você tem FOMO?

Tecnologia

POR Carlos Augusto

29/09/2019

Fomo é a sigla em inglês para “fear of missing out” – traduzido para português significa, “medo de estar perdendo algo”. Foi Descrita pela primeira vez nos anos 2000 por Dan Herman. FOMO é a ansiedade geral sobre a ideia de que outras pessoas tenham experiências positivas e você não. É um sentimento de perda, não seria como inveja, é algo mais sério como uma “ansiedade social”.

Boa parte da origem deste sentimento é culpa dos algoritmos das redes sociais, que jogam em nossas timelines assuntos relacionados com o que vemos e curtimos, nos fazendo perder tempo lendo besteiras. Outra parte da culpa - eu diria que a maior parcela até – é de um cidadão chamado Aza Raskin - Programador criador da“rolagem infinita – quando você rola a tela do celular para cima em no Instagram ou Facebook, por exemplo, e não para de vir conteúdo – o que viria a se tornar um dos elementos mais viciantes dos smartphones.

Aza Raskin – criador da rolagem infinita.


Com a massiva utilização das redes sociais, o FOMO cresceu consideravelmente. Pessoas que vivenciam esse fenômeno são as que mais usam as redes. Existe uma linha tênue de FOMO como um fenômeno comportamental inofensivo ou como um possível transtorno mental. O psicólogo Aely relata:

“A partir do momento que este comportamento passa a limitar a vida do indivíduo, isso pode contribuir para algum transtorno mental, como depressão ou síndrome do pânico.”

Segundo Aely, é possível elencar um perfil predisponente à patologia:

“Indivíduos com problemas de autoestima, pessoas com histórico de ansiedade, pessoas com características competitivas, indivíduos voyeur ou exibicionistas”, lista.



Algumas características de pessoas que sofrem da síndrome são:

    • Checar o smartphone mesmo quando não recebe novas notificações.
    • Não desgrudar do telefone nenhum segundo, dedicando muito tempo às redes sociais.
    • Sensação de “eles estão se divertindo e eu não”.
    • Necessidade constante de verificar atualizações nas redes, mesmo após acabar de postar alguma coisa.
    • Não viver o momento e ficar se preocupando com fotografias para colocar nas redes sociais.
    • Sentir inveja e inferioridade, fazendo comparações frequentes com outras pessoas das redes sociais.

Ter algum dos comportamentos acima não significa necessariamente que você tem FOMO, mas, é bom ficar atento.

O que fazer para evitar?

    • Desabilite as notificações das redes e diminua as checagens.
    • Ao deitar coloque o celular na gaveta ou num local longe das mãos.
    • Prefira viver o momento a “postar” o momento.
    • Entenda o jogo da aparência nas redes.
    • Diminua o ritmo das postagens.

Se necessário, e você estiver sofrendo de ansiedade ou mau estar por causa do FOMO, é aconselhado consultar um psicólogo.


- - - - - - - - -
Carlos Augusto é entusiasta de tecnologia desde que ganhou seu primeiro videogame em 1985, o Odyssey da Philips – e já desabilitou a notificação de todas as redes já fazem dois ano.


Comentários

Carlos Augusto

Carlos Augusto M. Costa, 42 anos, pós-Graduado em Docência do Ensino Superior e especialista em Gestão da Tecnologia da Informação, empreendeu no segmento de informática por quase 10 anos e atuou como Gerente de Tecnologia da Informação do Shopping Partage Natal por 7 anos. É Professor de Graduação e Pós-Graduação da Escola de Negócios da Universidade Potiguar,  Campus Mossoró.

-->