População do RN perde o hospital com maior fluxo de cirurgias ortopédicas

O Hospital concentra o maior serviço de ortopedia do estado, com mais de 100 pacientes internos aguardando cirurgia.


População do RN perde o hospital com maior fluxo de cirurgias ortopédicas Foto: João Gilberto

O Hospital Regional Deoclécio Marques teve o serviço de ortopedia encerrado pelo Governo do Estado nesta segunda-feira (04), após reunião com a Cooperativa Médica do RN – Coopmed-RN.


O Hospital concentra o maior serviço de ortopedia do estado, com mais de 100 pacientes internos aguardando cirurgia, realizando 2.500 atendimentos ambulatoriais ao mês e realizava 6 mil cirurgias ou procedimentos ortopédicos por ano.


O motivo foi o fim do contrato com a Coopmed que encontrava-se em trâmite desde o início do ano. Na ocasião, o Estado alegou impossibilidade de remanejamento de plantões já licitados.



A equipe de ortopedia não se responsabiliza pelas cirurgias a partir das 7h desta terça-feira (05), em virtude da não realização de licitação e nem renovação do contrato.


A reunião foi conduzida por funcionários da Secretaria sem a participação do secretário Cipriano Maia e nem do adjunto Petrônio Spineli.


O Deoclécio Marques foi fundado em 2004 pela então Governadora Wilma de Faria e é um Hospital referência em ortopedia, sendo um dos serviços mais requisitados atualmente pela população do Estado.


É o responsável pela resolução dos casos mais complexos de cirurgias ortopédicas, como cirurgias de pélvis e acetábulo, cirurgias essas não realizadas por outros prestadores contratados pela Sesap.

Comentários

mais notícias