Você sabe por que chamamos Setembro Amarelo?

saúde

POR Izamara Luana

19/09/2018

Setembro amarelo é uma campanha mundial de prevenção ao suicídio. Essa campanha deu inicio no ano de 2015. Falar sobre o suicídio já foi considerado um grande tabu, porém ainda há uma grande dificuldade quando este problema acaba acontecendo com pessoas próximas a nós. Isso por termos dificuldades de identificar os sinais e por termos um despreparo quanto a busca por ajuda.

Em setembro de 2017, o Ministério da Saúde lançou o primeiro boletim epidemiológico de tentativas e óbitos por suicídio no Brasil, onde as altas taxas de suicídio entre idosos com mais de 70 anos era alarmante e preocupante. Também foi alarmante o número alto de suicídio entre os jovens e indígenas. Dessa forma, devido aos altos índices de suicídio no nosso país, estratégias precisavam ser tomadas para que esse número pudesse vir diminuir. Ofertar assistência de forma integral e de qualidade é considerado uma estratégia de fator de proteção.

Precisamos entender que o suicídio é um fenômeno complexo e que pode possuir diversas origens, como também pode afetar diferentes origens, classes sociais, independente de cor, orientação sexual e identidade de gênero. Porém, sabemos também que o suicídio pode ser prevenido, a partir da identificação dos sinais de alerta.

As pessoas que vivenciam o risco de suicídio costumam falar comumente sobre morte e por muitas vezes sentem-se sem esperança, culpadas pelos acontecimentos ao seu redor, possuindo uma visão negativa sobre o futuro e sua vida. Essas pessoas também possuem algumas expressões como “vou desaparecer”, “eu queria poder dormir e nunca mais acordar” ou “vou deixar vocês em paz”. O isolamento também é comum, não atendendo telefonemas, interagindo pouco com os demais ao seu redor. É importante lembrar que essas manifestações não devem ser interpretadas como ameaças ou chantagens emocionais e devem ser levadas a sério.

Diante de uma pessoa que apresenta esses sinais, devemos estar conscientes de nosso papel e de nossa postura, para que o melhor caminho seja traçado na busca por uma solução. Vamos traçar alguns passos importantes para ajudar uma pessoa sob o risco de suicídio:

  •      Encontre um lugar calmo e apropriado para falar sobre o assunto;
  •      Esteja disposto a ouvir e não criticar;
  •      Incentive sempre a busca por serviços especializados;
  •      Não a deixe sozinha;
  •      Permaneça sempre em contato para saber como a pessoa está;
  •      É importante respeitar e levar a sério.

Vamos fazer a nossa parte. Esteja atento aos sinais e esteja sempre disposto a ajudar. Os sinais de depressão são bem mais próximos a nós do que imaginamos. É preciso falar sobre o assunto e desmistificar alguns pontos que ainda existem. Vista amarelo, vista a camisa em valorização da vida, converse, escute e dissemine essas informações. A vida vale a pena ser vivida!

Comentários

Izamara Luana

Izamara Luana, 24 anos, mossoroense, bacharel em Enfermagem e pós-graduanda em UTI e Urgência e Emergência.