Acusado de matar cunhada de 12 anos é condenado a 23 anos de prisão

Paulo Batista de Souza, 23 anos, confessou ter estrangulado a adolescente e contou à polícia que agiu por raiva


Acusado de matar cunhada de 12 anos é condenado a 23 anos de prisão Foto: Polícia Civil

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) conseguiu a condenação do acusado pelo assassinato da menina Maria Carla da Silva, de 12 anos, acontecido em setembro de 2018 em Apodi. A sentença dada pelo Tribunal do Júri Popular da comarca para Paulo Batista de Sousa foi de 23 anos e nove meses de prisão em regime fechado. 

 

O crime aconteceu na noite de 18 de outubro de 2018 quando Paulo matou a menina por estrangulamento, após dar uma carona para a vítima. Na época, o réu era cunhado dela. A ação foi premeditada pelo acusado após uma discussão familiar. 

 

O denunciado chegou a assumir o crime, após dar várias declarações contraditórias à Polícia Civil da localidade, e a indicar o local onde o corpo da vítima foi encontrado – um dia antes de completar um mês do seu desaparecimento – na zona rural de Apodi. Junto ao corpo estavam vários objetos pessoais de Maria Carla.  

 


O julgamento foi presidido pelo juiz de Direito Antônio Borja de Almeida Júnior. As provas obtidas contra Paulo Batista foram apresentadas ao júri pelo promotor de Justiça Roberto Cesar Lemos de Sá Cruz, que encerrou a exposição com a poesia “ “Sonhos”, que expressa o reclamo da vítima por Justiça!  Todas as qualificadoras e a causa de aumento requeridas pelo Ministério Público foram reconhecidas pelo conselho de sentença, como prática de crime de violência doméstica e familiar contra a mulher (feminicídio). 

 

Aos 23 anos e nove meses da sentença, serão somados outros 8 anos de prisão, referentes a outra condenação imposta ao réu por também ter cometido o crime de estupro da irmã de Maria Carla.

Comentários

mais notícias