embate

Francisco Carlos rebate Marleide e cobra funcionamento pleno do Hospital da Mulher


Francisco Carlos rebate Marleide e cobra funcionamento pleno do Hospital da Mulher

Foto: Reprodução

Durante a sessão realizada nesta terça-feira (26), na Câmara Municipal de Mossoró, chamou a atenção um pequeno embate entre o vereador Professor Francisco Carlos (União Brasil) e a vereadora Marleide Cunha (PT) sobre o Hospital da Mulher.


Segundo Marleide, dizer que o Hospital não funciona por não ter realizado partos até hoje é “machismo” e um “desserviço”, acusações que foram logo rebatidas por Francisco Carlos.


Em sua fala, o vereador lembrou que, apesar de inaugurado há mais de um ano, a maioria dos serviços prestados hoje pelo Hospital da Mulher são ambulatoriais. Ou seja, procedimentos de pouca complexidade, que não condizem com o investimento realizado pelo Governo do Estado e contrariam as expectativas depositadas pela população naquele equipamento.


Segundo o site oficial do Governo do Estado, o Hospital da Mulher deveria funcionar para casos de “Gestação de alto risco, urgência obstétrica e ginecológica, cuidados neonatais, assistências cirúrgicas neonatal e ginecológica, apoio diagnóstico por imagem, laboratorial clínico e de pesquisa e banco de leite.” Atualmente, o Hospital da Mulher presta apenas 28 serviços e não registrou ainda um parto sequer realizado em suas dependências.


Entre obra física e equipamentos, o Hospital custou aproximadamente R$ 134,5 milhões ao Governo do Estado.

Comentários