O impacto socioeconômico do carnaval de Apodi/RN

economia e empreendedorismo

POR Vinicius Salgado

26/02/2018


O carnaval de Apodi em 2018, se consolidou como o segundo maior carnaval do interior do RN, perdendo apenas para o Carnaval de Caicó. Porém, nestes eventos, fica um pouco difícil mensurar o quanto este período influencia na economia do estado ou até mesmo da cidade. O que vale é sempre aquela análise que faço por aqui: quanto um carnaval impacta positivamente na economia da cidade?

Em pesquisa realizada por uma equipe de bolsistas e coordenada pelo professor de economia (UERN) Leovigildo Cavalcanti, foi constatado que o público do carnaval de Apodi em 2018 foi em torno de 80 mil pessoas. Um dado importante é que 83% do público são oriundos de outros municípios do RN (45% de Mossoró), ou seja, a festa se caracteriza como um grande carnaval da região. Porém, foram entrevistadas pessoas de 10 estados e 50 municípios diferentes, a maioria delas, com a faixa etária em torno de 18 a 25 anos (48%) e 26 a 34 (28%).

Das 80 mil pessoas do evento, 20% estiveram no carnaval pela primeira vez e 47% já estiveram no mínimo três vezes na cidade para curtir o evento, ou seja, mostra a consolidação do evento e o crescimento dele a cada ano. Além disso, a maioria das pessoas entrevistadas tem seu nível de renda entre 1-3 salários mínimos, o que representa uma festa totalmente popular e rentável para a população que frequenta.



Quando falamos de impacto socioeconômico, buscamos mostrar o quanto um evento como o carnaval, por exemplo, influencia na economia da cidade ou o quanto atrapalha, este tipo de trabalho auxilia no planejamento dos próximos anos e até na captação de recursos privados. 

No caso de Apodi, o maior impacto fica por conta da hospedagem, é comum que famílias cedam suas casas para aluguel para conseguir uma renda extra no carnaval. Então, como principal fonte de hospedagem do evento, os alugueis geraram em torno de 150 mil reais para as partes envolvidas. 

Os empregos também aumentaram na época do carnaval. Os bares/restaurantes geraram 85 postos de trabalho temporários no período, o que representa uma massa salarial de R$ 26.400,00, fora os ambulantes que vendem bastante. Além disso, este setor investiu 285 mil reais no carnaval e alcançaram um faturamento de 365 mil reais. Todos os valores foram maiores que as projeções iniciais mensuradas na pesquisa antes do carnaval. Os blocos, que são tradição no carnaval de Apodi, movimentaram cerca de 210 mil reais.



Então, não tem como negar que o carnaval de Apodi impacta positivamente na economia local e que vale a pena ser realizado. Nos próximos anos, a prefeitura vai poder planejar melhor ainda, já que o resultado desta pesquisa foi extremamente satisfatório para os cofres do município, para aquecer a econômica, como também para o lazer das pessoas que fazem parte.

A festa não é só gasto, também tem seus pontos positivos. Portanto, o discurso de quem fala que o carnaval é só gasto e nada de retorno cai por água abaixo. Claro que outros setores merecem atenção especial, como saúde e educação, por exemplo, porém, a festa do povo brasileiro não pode ser deixada para trás e também tem seus retornos positivos.


Espero que tenham gostado. Att, Vinícius

Comentários

Vinicius Salgado

Vinícius Salgado, 23 anos, mossoroense, acadêmico do 9 período do curso de Economia na UERN e colunista de economia no Portal Mossoró Notícias.

Crossfit