Duplicação

Deputado propõe emenda a LDO 2023 para duplicação da BR-304

Deputado propõe emenda a LDO 2023 para duplicação da BR-304

Foto: Canindé Soares

O deputado federal Beto Rosado sugeriu emendas relacionadas à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2023 que priorizam obras de infraestrutura em rodovias e segurança hídrica ao estado do Rio Grande do Norte. As obras são: duplicação da BR 304 – Natal/Mossoró, a implantação do Cinturão das Águas do Rio Grande do Norte e a Construção do Trecho da BR 437, mais conhecida como a Estrada do Cajueiro.


As obras de infraestrutura rodoviárias visam garantir a duplicação da BR 304, trecho que liga a capital do estado a Mossoró. Essa duplicação além de acelerar o tráfego na BR também será fundamental para diminuir o número de acidentes na rodovia federal ao permitir que um número maior de veículos trafegue diariamente pelo local. Quanto a pavimentação da BR 437, conhecida como a Estrada do Cajueiro, além da BR ser muito importante por cortas dois estados, a obra também serve como opção de escoamento para produção de indústrias localizadas na região oeste do RN.


CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Para Beto, "a duplicação da BR-304 é uma obra importantíssima para a economia do nosso Estado, é a principal rota do interior, liga as duas maiores cidades do RN. Precisamos continuar lutado por essa obra numa rodovia que já ceifou a vida de muitas pessoas. Vamos lutar por essa inclusão na LDO," disse.


Já a implantação do cinturão das águas do Rio Grande do Norte irá realizar a transferência de águas do Ramal Apodi para abastecer as regiões oeste, central e terminando na Região do Mato Grande. Essa transferência beneficiará cerca de 1,5 milhão de potiguares. Beto reforça que a obra possui um grande benefício social ao atender uma população que convive diariamente com a seca. "A ação garante segurança hídrica e mais desenvolvimento ao setor agropecuário potiguar que precisa e luta há muitos anos por isso", completa o deputado federal.


Para o deputado, essas emendas garantem que as obras estejam previstas no Orçamento Geral da União, sendo esse, um passo importante para que a ação possa ser executada pelo Governo Federal.

Comentários